Na quinta parte da série The Big Questions, imaginando o futuro da indústria de alimentos e bebidas, analisamos o futuro dos postos de trabalho na indústria manufatureira

Na terceira parte da série The Big Question, vimos como as fábricas podem parecer e funcionar no mundo de amanhã. Mas que papel desempenharão os humanos no futuro da produção? À medida que a próxima revolução industrial se desenrola e transforma radicalmente o trabalho, com tecnologias em evolução como a IA, robótica e automação avançada, o que significará para nós? Será que a jornada para atransformação digital nos deixará sem trabalho?

Evoluindo com a tecnologia

Poucos podem argumentar que a indústria manufatureira não caminha na direção certa. Com o aumento da eficiência, inteligência e conectividade, as indústrias têm o potencial de reduzir significativamente o desperdício e os custos, além de melhorar a segurança e produzir mais em menos tempo. No entanto, como a automação continua a substituir o trabalho prático e manual, é compreensível que muitos se preocupem com a perda de postos de trabalho e a escassez de competências nos próximos anos.

De acordo com a Deloitte e o The Manufacturing Institute, só os EUA verão um potencial de 2,4 milhões de empregos não preenchidos durante 2015-2025. Isto deve-se, em grande parte, à crescente falta de correspondência entre os trabalhadores disponíveis e as competências necessárias para empregos disponíveis. O desafio para as indústrias, portanto, é entender como os atuais empregos, carreiras e trabalhadores de manufatura podem evoluir ao mesmo tempo da tecnologia.

Reimaginando o nosso papel

Assim, que competências serão essenciais no futuro? Haverá emprego suficiente para que se equilibre o impacto da automação? A maioria dos analistas da indústria concorda que, ao longo do tempo, os mercados de trabalho sempre se adaptarão às mudanças na demanda. Longe de nos tornar obsoletos, a automação, a IA e os robôs irão gerar novos papéis que dependem de competências específicas do ser humano, desde o pensamento crítico e a criatividade até à gestão de pessoas e a resolução de problemas.

Para maximizar a eficiência destas competências humanas, os trabalhadores também terão de recorrer a competências digitais altamente avançadas – criando, em última análise, um ambiente de cooperação em que o homem e a máquina trabalham em conjunto sem problemas. Mas, para que isso aconteça, as indústrias, os governos e os educadores terão de investir no desenvolvimento das competências certas, incentivando a próxima geração a considerar que a indústria transformadora tem um futuro brilhante e atrativo.

Assista ao vídeo do especialista em inovação David Lee discutindo por que deveríamos estar criando empregos mais humanos.

Empregos do futuro

Nas próximas décadas, os empregos tradicionais de “colarinho azul” poderão desaparecer, mas será necessário recorrer a todo um novo conjunto de profissões. Pense em coordenadores de equipe de robôs, arquitetos de blockchain, especialistas em impressão 3D, engenheiros aprimorados com AI, analistas de segurança cibernética, coordenadores de dados de drones, analistas de rede de fornecimento preditivo e muito mais. Todos eles altamente alfabetizados em computação, nativos digitais, especialistas em programação e capazes de aplicar o pensamento crítico a problemas complexos.

Para se prepararem para esta nova era de trabalho e se manterem em competição, os fabricantes precisam agir agora e garantir que os trabalhadores tenham as habilidades e o apoio de que precisam para fazer a transição para estes novos empregos. E, como indivíduos, precisamos estar abertos a repensar as noções tradicionais de trabalho para garantir que ainda tenhamos um lugar significativo na manufatura.

Quer saber mais sobre o futuro da fabricação com a SIG? Entre em contato ou saiba mais sobre as soluções da Smart Factory.

And for more stories on digital transformation, sign up to the SIGnals Update – our exclusive bi-weekly newsletter. Subscribe now to get the latest news and stories sent straight to your inbox.

SIGnals

Postado por SIGnals

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *